As Drag Queens Ou O Novo Milionário Negócio De Lindeza

Blog

As Drag Queens Ou O Novo Milionário Negócio De Lindeza 1

As Drag Queens Ou O Novo Milionário Negócio De Lindeza

, Por causa uma mulher travesti afro-americana Marsha P. Johnson, a comunidade gay reivindicou teu orgulho pela primeira vez. Foi no botequim Stonewall em Nova York, em junho de 1969. Trinta anos depois, uma drag afro-americana lidera uma revolução que está levando as rainhas do transformismo um status desconhecido até neste momento de respeito, reconhecimento e admiração. Seu último livro é denominado como GuRu (Harper Collins) não pode ser mais bem sucedido. E não só em razão de jogue com o teu nome, porém assim como porque RuPaul (San Diego, 1960) tornou-se o guia espiritual do movimento, ou o que é o mesmo: a mãe de todas as mães. RuPaul não impede nenhuma cor, nem ao menos dentro e nem ao menos fora do estado de são paulo.

O demonstrou recebendo a Lady Gaga de amarelo em um capítulo da nona temporada de seu programa (na página seguinte). Assim como optou-se por este tom pra um look com maquiagem dourado), que foi escolhido como um dos melhores da história do programa.

  1. Direção de Arte
  2. MUITO ARMAZENAMENTO: Espaçoso com muito armazenamento, até mesmo pra cosméticos grandes
  3. três Acumulação pela atmosfera
  4. Sem brilho, sem poros, à proporção

Pela imagem, fotografada por Mathu Andersen pro livro GuRu (HarperCollins). Imagem: Mathu Andersen pro GuRu. A intervenção desse novo rei Midas é conciso. Teu programa de televisão RuPaul’s Drag Race, que prontamente conta com nove prêmios Emmy, é só a ponta de um iceberg econômico que gera milhões de dólares por ano. O emprego de todo o tipo de enfeites brilhantes, que aderem com cola quente, e também postiços e glitter, está presente em todos os looks, tal pela maquiagem, no rosto, como no guarda-roupa.

Na imagem, Sasha Velour. O fenômeno RuPaul’s Drag Race é imparável. Acaba de anunciar o lançamento de uma versão inglesa nesse reality que procura, por intermédio de testes e playbacks, a melhor de sempre drag queen. Apresentá-Lo-á o próprio RuPaul e se soma ao que se pôs em marcha na Tailândia -que o artista se limitou a amadrinar-.

Não há lugar gay nos EUA que não conte com espetáculos de drag queen, ou programas ao vivo, que não chamar regularmente antigas membros ao teu episódio. “Várias conseguem voltar a cobrar até 10.000 dólares por acção, o que, no desfecho do ano permite-lhes obter quantias de mais de 6 dígitos”, argumentou Randy Barbato, produtor executivo de RuPaul’s Drag Race. A apresentadora e atriz Deborah Ombres.

O fenômeno não se limita ao mundo do show business. A beleza reivindica tua parte essencial de bolo. Cada vez são mais as empresas que lançam coleções e edições limitadas formadas ou amadrinadas por drag queens. Elas são as outras musas da composição e garante uma audiência ricaça que não se perdem os seus tutoriais no YouTube e outras plataformas sociais. Miss Fame, participante da sétima temporada, supera os três milhões de visitas em vários de seus vídeos, e o que realizou em exclusivo para a Cosmopolitan no Facebook (Miss Fame Makeup Transformation) alcançou os cinquenta e oito milhões.