E Se Chover?

Blog

E Se Chover? 1

E Se Chover?

Ultimamente o universo anda muito doido, e não queremos confiar de chuva, como se passa um dia soleadísimo em Abril e em Junho vai desabar chuzos de ponta. Ninguém gosta de que chova no dia de teu casamento. Você dedicou tantas horas preparando os dados pra aquele dia que você não quer que a chuva o incomodam, contudo temos qualquer coisa muito sério pra contar, o

Algumas gotas de água não precisam evitar de desfrutar do teu dia, de modo que não vos que venhais pra baixo. Isso sim, para poder se divertir precisa ter em conta diversas possibilidades. O primeiro e mais sério é ter um plano B, um espaço facultativo pra celebrar a solenidade ou fazer o banquete de cobertura, não vai ambicionar que o prato de presunto se encha de água. Se você imediatamente sabe que pra data de teu casamento, o tempo vai estar “que sim, que não”, você a toda a hora poderá colocar um cesto com guarda-chuva para os vossos convidados, os poderá configurá-los de cores ou segundo a vossa temática de casamento.

Se ir do guarda-chuva e pensais em grande, você poderá colocar guarda-sol, em muitos locais de imediato contam com elas e se não, você pode alugar em um espaço. Outro detalhe muito interessante é uma maquiagem à prova de água, bom e já que estamos, de lágrimas de felicidade. Em suma, que a chuva também não é a superior catástrofe, assim sendo que a desfrutá-la, já que como dizem “casamento chuvosa noiva bem-aventurada”.

Ao permitir uma acessibilidade praticamente total, é muito atraente para pessoas com mobilidade reduzida, grávidas e idosos, melhorando a tua independência. Redução do número de acidentes, ao reduzir os automóveis privados da avenida com uma superior impressão de segurança nos centros urbanos. Marcha mais suave e confortável, comparada com a dos ônibus ou microônibus.

  • Cumbia Do Acordeão (com Celso Abacaxi)
  • cinco Vídeos musicais
  • Karina Parra como Ashley Juergens
  • 7 Projetos pra cinema

Melhora o atrativo econômico dos centros urbanos e das zonas conectadas com o bonde. Impacto visual miúdo e, diversas vezes, com a perspectiva de diminuir a catenária (observar bondes de Bordéus, Sevilha e Saragoça) em zonas de especial valor arquitetônico.

Capacidade de transporte maior do que o teu equivalente no ônibus. Rigidez de seus percursos, que não lhes permite contornar um impedimento que tivesse a respeito da rodovia. Custo maior, tanto da estrutura como dos carros (em relação aos ônibus e microônibus, apesar de pequeno preço por quilômetro do que o metro).