O Bloco Da Posse De Pedro Sanchez Venceu As Europeias

Blog

O Bloco Da Posse De Pedro Sanchez Venceu As Europeias 1

O Bloco Da Posse De Pedro Sanchez Venceu As Europeias

De fazer-se hoje as eleições europeias, o bloco que apoiou a posse de Pedro Sanchez venceu as eleições. Vox irrumpiría com força em Bruxelas e Cidadãos cuadriplicaría seus resultados em relação a 2014, porém ficaria remoto de suas expectativas atuais. Isso decorre, ao menos, da última pesquisa de Sigma-Duas para o Mundo do serviço, com 1.000 entrevistas telefônicas realizadas entre os dias vinte e cinco e 28 de fevereiro. Uma primeira vaga, que terá continuação em 7 de abril e 7 de maio, com dados atualizados e que foi coordenado com ‘Il Corriere della Sera” e outros jornais europeus para cobrir o maior espectro de população possível.

Em 2014, o Parlamento Europeu distribuía 751 lugares, contudo após o Brexit, e à espera de que passe, enfim, com o Reino Unido, a próxima legislatura terá 705 deputados. Portugal, graças a um elenco de potência e uma proporcionalidade melhor distribuída, ganhou 5 posições, pelo que haverá cinquenta e nove rostos nacionais no hemiciclo de Estrasburgo, pela próxima legislatura.

Pela primeira vez em sua história, a situação começou a realizar uma série de projeções de frente para as eleições de vinte e três a 26 de maio. O exercício do Parlamento vê também (ainda mais) potente a Vox, com até 7 deputados, um por cima do que a projeção anterior. Enquanto Cidadãos, a toda a hora naquele exercício, teria 11, por nove Podemos.

de Acordo com uma macroencuesta, os espanhóis são os europeus que mais apostam fortalecer a integração na União frente ao progresso do populismo no resto do continente. O mundo todo coincide, em Bruxelas, que as próximas são as eleições europeias mais primordiais que se recordam.

Pela atenção que (enfim) acordaram, por causa do acrescento populista, pelo surto cético. E além de tudo, em razão de sem dúvida nenhuma, e na primeira vez pela História, as duas grandes forças continentais, populares e socialistas, não têm potência suficiente, por si mesmas para mover os fios.

  1. Praça Center
  2. 55 h A sessão será retomada com a intervenção do porta-voz do Povo, João Estêvão
  3. 3-As Quatro estações – Vivaldi
  4. oito Classificação mista
  5. Insuficiente cobertura de serviços
  6. Que violem outros critérios da política de WP:EUA
  7. dois Negação de acesso aos bens comunitários
  8. um Teoria do atentado

De 2014 saiu uma Grande Coligação que permitiu as possibilidade de Jean-Claude Juncker, como presidente da Comissão e, uma vez mais, o turnismo à frente da Comissão. Todavia, em 2017, no momento em que o alemão Martin Schulz deixou a presidência pra tentar ser chanceler da Alemanha, os socialistas optaram por romper o acordo, por não almejar ceder o recinto a Antonio Tajani. O italiano acabou realizando, entretanto a Coligação nunca voltou a ser o mesmo.

Em 2019, a enorme indecisão é saber quantos jogos seriam suficientes pra marcar uma maioria, se três (os de a todo o momento, os mais liberais ou mais, sendo possíveis hipoteticamente algumas coligações que incluam os verdes em algum assunto excepcional. De acordo com as projeções, podes bastar-se com os votos das duas argumentadas e os liberais de Alde, entre os Cidadãos que terá um peso específico de interesse.

A Europa das Nações e a Liberdade (Liga, Frente Nacional, Vlaams Belang flamengo) viria logo em seguida, com 67 assentos. Apesar de nesta ocasião não somam, o amplo temor é, não obstante, que populistas, eurocéticos e eurofóbos acabem fazendo um 33% dos votos, e, portanto, uma minoria de bloqueio.

Não parece ser o caso em cada exercício social, até a data, mas em alguns países chegam fatos que nervoso com a maioria, em Bruxelas, Paris ou Berlim. O caso alemão não é digno de parágrafo à fração, porém quase post em separado. É o enorme potencial parlamentar, a toda a hora foi, e continuará sendo. O anterior presidente da Comissão Schulz, era alemão.

O líder do PPE, Manfred Weber, é bávaro. A cabeça dos Socialistas na câmara é o alemão Udo Bullmann. Ska Keller, alemã, bem como, é uma das duas colíderes Dos Verdes para o dia vince e seis de maio. Como é alemão, o secretário-geral do Parlamento, Klaus Welle. As eleições são distribuídas noventa e cinco assentos, mais do que ninguém.