O PP E Cidadãos Acompanharão Juntos O Seu Pacto De Investidura

Blog

O PP E Cidadãos Acompanharão Juntos O Seu Pacto De Investidura 1

O PP E Cidadãos Acompanharão Juntos O Seu Pacto De Investidura

Mariano Rajoy e Albert Rivera selados no mês de agosto, um pacto de investidura, que permitia que os conhecidos revelar com os trinta e dois deputados de Cidadãos. A partir Cidadãos levam dias pregando que farão uma avaliação trimestral do pacto. O PP está de acordo, tal como confirmou esse diário, mas sinaliza que a periodicidade não está fixada.

Deste modo, ambos se sentaram na mesa para testar o estado de saúde de sua aliança. Os dois estão de acordo em partilhar a mesa de avaliação, contudo discordam a respeito de de quem parte a iniciativa: os dois se atribuem. Fontes de PP e Cidadãos já alegou a este jornal que a ideia surge de teu partido, respectivamente. E também esta nada vai bem entre liderança, o certo é que no término de fevereiro ou início de março haverá imagem conjunta.

Uma das hipóteses de trabalho é que cada equipe elabore tuas conclusões para, em seguida, colocá-los em comum. Cidadãos crentes de que eles fariam essa avaliação, tal se o PP queria como se não. Ou seja, que se tinham que sentar-se sozinho em uma mesa, o fariam.

  • Presidente do Parlamento Da região de la Rioja (1999-2015)
  • Marc Reisner, Cadillac Desert: The American West and its Disappearing Water, Penguin, 1986
  • um Euromaidán e as eleições de 2014
  • dois Futuro centro empresarial da Avenida dos Povoados
  • O desenvolvimento da personalidade de cada pioneiro/a

Até nesta ocasião, de forma pública, não havia abandonado como se levaria a cabo o diagnóstico das 150 reformas previstas no acordo. Local a todo o momento foi partidário de afirmar comissões de avaliação a respeito seus pactos. Um exemplo disso é a Madrid, onde Cristina Cifuentes e Ignacio Aguado consensuaron a constituição de uma Comissão de Controle trimestral pra analisar que as medidas estão levando a cabo. Os próprios dirigentes participam destes encontros.

Durante o Governo do PP, houve um crescimento acumulado de 112%, em média, 10% ao ano. R. É que eu não me lembro. O que é evidente é que o avanço foi alto. P. O acrescento do preço ao longo dos governos do PP foi, por isso, uma coisa circunstancial, não imputável à política do PP? E houve muita gente que economizou habitação e comprou segundas casas. Mas o que temos visto nessa legislatura foi um espetáculo lamentável. Foi um sainete.

Para mim, a solução é liberalizar o chão. P. Esteve à frente de 5 ministérios e de imediato aspira a presidir o Governo. Você assume o que foi feito nos oito anos do PP no Executivo ou conseguem esperar os espanhóis qualquer coisa desigual?

R. daqueles oito anos que eu estou muito orgulhoso. Eu neste instante comentou: eu não mandar tropas pra lugar nenhum sem o acordo do Parlamento nacional. Isso o farei. Mas, naqueles anos, fico com a seriedade pela hora de governar.

Lá as coisas se levando a sério, lá tinha um plano. Lá havia segurança, lá tinha certeza, havia em torno de objectivos, havia uma previsibilidade. O mais importante foi a política econômica. E de imediato você necessita regressar a sê-lo. Eu sou um dirigente político previsível. Eu posso errar, porém toda humanidade entende o que imagino, o que eu imagino de Portugal, o que eu imagino do terrorismo, o que eu penso da economia, quais são as minhas prioridades. E isto é o que me ficou daquele Governo. P. De, naquela data, bem como está o Prestige; ou o insucesso no controle e pela batalha contra o terrorismo islâmico, que acabou com o pior atentado. R. Sim, claro. É muito difícil viver, se os Governos lhes levamos a responsabilidade de os falecidos que matam os terroristas.